Criando raízes

Deus em toda Sua sabedoria e maravilhosa graça nos ajuda a entender, através de pequenas e grandes coisas, como devemos fazer para nos aproximar dEle – e lá nos manter.

Sabe as árvores? Então. Elas podem nos ensinar tantas coisas, como fidelidade e relacionamento. Acredite.

Em toda a Palavra de Deus podemos encontrar o Pai ensinado algo e usando árvores de exemplo. Mas de que maneira isso se assemelha ao que devemos viver com Ele?

A partir da semente lançada na terra, aquela árvore que está pra crescer está comprometida com o solo e com o ambiente onde resolveu ficar. Ela precisa da terra, ela precisa da água.

Quando a semente encontra o que precisa, ela retribui com seu crescimento e cria raízes para poder, com força, desenvolver tudo que há dentro de si.

“O Reino de Deus é semelhante a um homem que lança a semente sobre a terra. Noite e dia, quer ele durma quer se levante, a semente germina e cresce, embora ele não saiba como.” Marcos 4:26-27

Mas a natureza tem suas surpresas, como fortes chuvas e ventos poderosos.

Quando a árvore já aponta na superfície, jovem, ainda sem tanta força em seu tronco, pode ser arrancada do solo por um vento impetuoso ou a tempestade inesperada. Isso só acontece porque ela ainda não tinha o que a sustentasse, suas raízes não poderiam segurá-la.

Mas e as grandes árvores? Aquelas com troncos robustos e enormes? Elas suportaram todas as adversidades, pois estavam fincadas na terra com raízes estáveis e resistentes que suportaram tudo o que apareceu. E assim, pode crescer e dar frutos.

“A árvore cresceu tanto que a sua copa encostou no céu; era visível até os confins da terra.” Daniel 4:11

Nosso relacionamento com Deus é assim. Um dia tudo começou como uma semente que você decidiu plantar no solo do jardim do Pai. Mas lá também chove, lá também há escassez. Por isso, é importante que você sempre esteja atento para regar e cuidar de sua futura árvore (e uma forte relação com o dono do jardim); para que no dia que a tempestade vier sua plantação não sofra.

Estamos acostumados a plantar a semente, mas não queremos cuidar dela para que germine e cresça. E no primeiro vento, temos todos os nossos planos arrancados da terra.

E nos cansamos. E temos que começar de novo. E de novo. E de novo. Mas nunca somos fortalecidos porque não deixamos que nossas sementes criem raízes na terra de Deus.

“Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz.” Marcos 4:6

Volte para o jardim todos os dias e regue sua semente para que ela se torne uma árvore, uma árvore de bons frutos.

“Considerem: uma árvore boa dá bom fruto; uma árvore ruim, dá fruto ruim, pois uma árvore é conhecida por seu fruto.” Mateus 12:33

Quanto mais forte sua árvore estiver, mais raízes haverão neste solo que a segurarão contra o mais impetuoso obstáculo na pior tribulação. Nada poderá te tirar do lugar que você decidiu fixar morada se você tiver o que o mantenha no lugar, pois você decidiu regar e permanecer em solo fértil para que seus ramos florescessem e seus frutos pudessem nascer.

“Se é santa a parte da massa que é oferecida como primeiros frutos, toda a massa também o é; se a raiz é santa, os ramos também o serão.” Romanos 11:16

Se você plantou uma semente na terra do Pai, insista nela. Regue todos os dias, cuide do solo, esteja atento. Mesmo que venha a peste, o vento, a chuva e o sol… lá você estará: apreciando o crescimento desse relacionamento com Deus e descobrindo o que é viver em Sua fidelidade e conhecer Seu amor.

“Sabemos que permanecemos nele, e ele em nós, porque ele nos deu do seu Espírito.”
1 João 4:13

Crie raízes.

Anúncios

17 de Janeiro

Uma das minhas músicas favoritas de dois dos meus cantores favoritos sempre é lembrada nessa data por ter sido o nome dado à canção: 17 de Janeiro d’Os Arrais. Como em seu Facebook, a dupla fez um dia todo especial cheio de lives e vídeos lindos de suas canções, também decidi honrá-los por aqui.

os-arrais-17-de-janeiro

Já falei do lindo trabalho dos irmãos Arrais em um outro post, mas sempre vale a pena relembrar músicas que falam ao coração e ainda exaltam a grandeza do Senhor, principalmente a 17 de Janeiro. Ainda não conhece? Bom, vou compartilhar a canção e aqui você lê uma breve explicação de seus autores sobre a letra, que é um poema cantado.

Deixe Ele te falar quem você é
Que a Palavra te desfaça
Que te afogue em Sua graça
Só a cruz esconderá quem você não é

O que falta?

Se você lê esse texto é porque está vivo. E se está vivo é porque tem promessas. Promessas de Deus. Promessas de Deus ainda não cumpridas.

Você conhece a história de Abraão? Nosso pai Abraão. Desde o primeiro momento que – ainda – Abrão apareceu na Bíblia, o Senhor já lhe chamou e faz muitas promessas, grandes promessas (Gênesis 12). Abrão atendeu ao chamado de Deus e seguiu o caminho por Ele determinado. Ao ler a história deste servo você se depara com uma característica: Abrão não questionava as ordens do seu Deus. Ele vivia o chamado, Ele vivia o que o Senhor lhe havia dito.

Deus dizia para ir, ele ia. Deus dizia para ficar, ele ficava. A direção era dada por Deus e Abrão concordava. E sempre edificando altares de adoração ao Senhor. Mas Abrão tinha falta de algo: um filho. Um filho para sua descendência. A descendência que o próprio Deus havia prometido.

O Senhor muda o nome de seu servo para Abraão, “porque por pai de muitas nações te tenho posto (Gênesis 17:5)”. O Senhor dividiu a história de Abraão com um novo nome, mesmo que significasse algo que ele não pudesse – ainda – ver e viver. Deus dá uma data (Gênesis 18:10). E Abraão não desanima, não questiona, não esmorece. Afinal, “existe alguma coisa impossível para o Senhor? (Gênesis 18:14)”. E vem Isaque, aquele que deu motivos para o riso (Gênesis 21:6). Seria o começo do cumprimento da promessa.

genesis18-14

Mas Deus provou seu servo. E Abraão sempre disposto disse “Eis-me aqui.(Gênesis 22:1)”. E o Senhor pediu aquilo que nós acreditávamos já ser de Abraão: seu filho.

Deus te fez promessas. Talvez elas ainda não tenham acontecido. Talvez você já tenha vivido o início da sua grande promessa. Mas agora você se tem perguntado “Deus, e tudo aquilo que o Senhor havia me dito? Onde está o cumprimento das Suas promessas?” E, assim, se sente estacionado, sem ir pros lados, pra trás e muito menos pra frente.

Mas você tem um Isaque. Você tem aquela conquista que levou tanto tempo e agora… e agora ela é sua. Aí está a diferença entre nós e Abraão. Abraão sabia que nada era seu, se não de Deus. E se algo havia sido pedido por Deus a Ele deveria ser entregue.

O que nos afasta do cumprimento das promessas são nossos apegos, prioridades e falsas possessões. Abraão decidiu por entregar Isaque, sem perguntar se Deus não queria uns quinze cordeiros no lugar ou até mesmo outra pessoa. Abraão disse “EIS-ME AQUI” e lá ele estava… Subindo o monte com seu filho que lhe perguntava onde estava o cordeiro para o sacrifício, e ele sabia que “Deus mesmo há de prover o cordeiro para o holocausto (Gênesis 22:8).

genesis22-14

Tudo que temos veio por intermédio do Senhor. Seja por conquista ou milagre, tudo veio da mesma fonte: o Abba! E certas propriedades nos serão pedidas, mas achamos que, por nos pertencer, não temos que entregar. Isso nos estaciona e impede que Deus possa seguir com Seu plano e cumprir o prometido.

Deus vendo o amor e devoção de seu servo o impediu de sacrificar seu filho e providenciou sim o cordeiro para o altar (Gênesis 2:12). Abraão deu o nome àquele lugar de “O SENHOR PROVERÁ (Gênesis 22:14)”, porque Deus não nos desampara nem no último instante. E o Senhor tendo jurado por Si mesmo “que por ter feito o que fez, não me negando seu filho, o seu único filho, esteja certo de que o abençoarei e farei seus descendentes tão numerosos como as estrelas do céu e como a areia das praias do mar. Sua descendência conquistará as cidades dos que lhe forem inimigos e, por meio dela, todos povos da terra serão abençoados, porque você me obedeceu” (Gênesis 22:16-18).

Deus confirmou Sua promessa ao ver a fidelidade deu seu servo Abraão.

Você entende? Você entende que talvez tenha um Isaque a ser apresentado para que você se torne pai de multidões? Você entende que a sua fidelidade pode ter sido colocada à prova quando acreditou que Deus estava te pedindo algo muito grande, algo que era seu? O que falta você entregar? O que falta ser devolvido para o Senhor? O que ainda é tão seu que não pode ser também de Deus? O que falta pra você crer que não há desamparo quando estamos caminhando na direção dada pelo Senhor?

Abraão nos ensinou a confiar. Confiar sem questionamentos ou represálias. Confiar sem reservas! Abraão, íntimo do Senhor, poderia tentar negociar, mas ele não sentiu que deveria, ele não acreditou que precisasse. Ele decidiu ouvir e seguir o seu mestre. Por amor. Por ser adorador. Por saber que o Senhor iria prover e cumprir sua promessa.

… E estou de pé.

Viver com Deus é aprender a depender única e exclusivamente dEle. E quando falamos em dependência somos imediatamente remetidos a pensar na provisão financeira, do alimento, do trabalho… mas depender de Deus é muito mais. É depender de Sua força para seguir em momentos difíceis e agarrar Sua paz quando nada mais faz sentido.

Depender totalmente do Pai é algo para se aprender e vivenciar todos os dias e um pouquinho de cada vez. Ainda bem que Ele nos ama incondicionalmente e é capaz de suprir toda e qualquer necessidade que possamos sentir nesse caminhar. Porque não é fácil. Nós queremos ter controle sobre tudo ao nosso redor, queremos do nosso jeito… mesmo que nossa fé insista em dizer que o jeito dEle é o melhor.

Mas existem coisas que você não pode iniciar, e muito menos tentar encerrar. Existem coisas que você não pode desfazer, e muito menos refazer. E é nesse momento que você percebe quão dependente é do Senhor. É nesse momento que você compreende o que é a “paz que excede todo entendimento”. É nesse momento que você percebe que tem um Pai cuidando de detalhes que você jamais enxergaria com seus próprios olhos.

e675ba4cbef8dac53f53ba9c7f038d4d

Há quem escolha confiar nos carros e cavalos (Salmo 20:7) do nosso tempo, mas eu há algum tempo aprendi a confiar no Pai das Luzes que não muda nunca (Tiago 1:17). Meu Pai e Senhor tem me ensinado na caminhada que por mais que eu tropece (muitas vezes por tentar controlar as coisas), eu nunca vou cair ou me encurvar diante da dor. A dor vem, mas eu me levanto e estou de pé. Não porque eu sou forte ou de extrema sabedoria, mas porque escolhi confiar, depender e fazer menção ao nome do Senhor, o meu Deus (Salmo 20:8).

Obrigada, Pai. Porque contigo eu não me desespero (Filipenses 4:17). Porque contigo sempre há um caminho (João 14:2). Porque contigo toda fraqueza se torna força (II Coríntios 12:10). Porque contigo toda dor se transforma em consolação (II Coríntios 1:4). Porque contigo existe vida, e é vida em abundância (João 10:10). Porque contigo tenho vestes de louvor em vez de espírito angustiado (Isaías 61:3). Que cada vez mais eu entenda o que é depender de Ti sem reservas… porque de nada vale reter algo para o Senhor.

Obrigada por me ensinar tanto, mesmo quando não tenho nada para te dar… só pedir. O Senhor é demais mesmo! ❤

 

O sacrifício que mudou a história

Quanto mais eu conheço a Deus mais me espanto com a perfeição de Seus planos e de Sua Palavra. Não existem buracos, não existem falhas. E o mais impressionante: tudo leva a Jesus, que nos leva ao Pai.

No Antigo Testamento vemos homens entregando o que possuem de melhor como oferta de sacrifício a Deus, seja para expiação dos pecados ou para adorá-Lo; e Ele fez o mesmo. Mas o sacrifício foi por mim e por você. O Rei dos Reis entregou o que possui de mais valor, Seu filho, para que pudesse nos ter para sempre.

E Jesus, filho obediente, veio como oferta de sacrifício, o Cordeiro que tira o pecado do mundo (João 1:29). O Príncipe da Paz (Isaías 9:6) aceitou ser humilhado, machucado e desprezado para que fossemos libertos de tudo que nos aprisiona, para que Sua feridas pudesse nos curar (Isaías 53:5).

02b40289906ba6bfa020930ce832d89e

Mas este sacrifício só pode quebrar as barreiras do tempo e da eternidade porque Jesus morreu, mas ressurgiu! Ressurgiu para tomar as chaves da morte e do inferno (Apocalipse 1:18) e, assim, viver para sempre e nos dar livre acesso ao Pai (Efésios 3:12).

Se hoje O amamos é porque Ele nos amou primeiro (I João 4:19). Se hoje somos livres é porque Ele nos livrou. Se somos perdoados é por Seu perdão. Se vivemos é porque Ele morreu e ressuscitou! Ô Aleluia!

Então não procure entre os mortos quem vivo está (Lucas 24:5). O túmulo está vazio. A Cruz que Ele aceitou é a morte que não vamos conhecer. Páscoa significa “passar”. Jesus passou da morte para a vida eterna e não há nada que possa anular o Seus sacrifício. 

Abraão já tinha havia ouvido falar do acontecimento que dividiria a história entre antes (A.C) e depois (D.C) quando subiu ao monte para entregar seu filho Isaque. Uma premissa de tudo que Deus faria ao subir uma montanha e entregar Jesus na Cruz. Obrigada, Pai! Porque a partir daí, Cristo se revelou em nós como a esperança da glória (Colossenses 1:27) e como a única e suficiente salvação!

Feliz Páscoa!

Pedras preciosas, sim!

08 de março é muito mais que receber flores e um parabéns de todos os homens que nos cercam. É olhar pra dentro de si e lembrar de tudo que se é capaz. Muitas vezes pensamos na mulher de Provérbios 31 e somos remetidas ao verso que diz que a mulher virtuosa vale muito mais que rubis (Provérbios 31.10). Há quem pense em fragilidade por se tratar de algo que transmite tanta delicadeza, mas eu logo penso que estamos falando de uma pedra. Uma pedra de imenso valor. Essa é você, mulher. Uma pedra com toda a força que ela possui e a necessidade em ser polida para que todos enxerguem sua beleza e valor, mas com a preciosidade e suavidade de algo que deve ser cuidado e mantido em segurança, em uma caixinha separada das demais, em destaque!

2ffb911886d4741539f983a9988bd007

Por isso, não se limite ao que o mundo tenta lhe dizer. Nem que você depende de alguém pra chegar em algum lugar, nem muito menos que você é o melhor que o sexo oposto para fazer o que quiser. Deus nos fez especiais e com a força que edifica um lar através da nossa sabedoria (Provérbios 14.1). Fazemos mil atividades de uma só vez e com prazer, não porque somos exploradas ou submetidas a tal. Fazemos porque temos a força e rigor do rubi para isso, mas também merecemos todos o cuidado que uma pedra mais frágil precisa, por sermos tão valiosas.

Somos naturalmente proativas e gerenciadoras de crise, mas não deixamos de sonhar com o que leve e faz o coração sorrir. Seguramos a peteca na escola, na faculdade, no estágio, no trabalho, no ministério, no casamento, na família, com os irmãos e filhos… e ainda temos um relacionamento íntimo com o Pai. Ah, nosso Pai. A Rocha mais alta que todas nós, e que nos lembra quão lindas somos sempre que alguém nos elogia e reconhece nossas virtudes, ou quando vemos nosso reflexo no espelho, ou quando simplesmente lembramos que somos Sua imagem e semelhança. As meninas dos olhos de Deus.

55d503718984cbf0e76016a104cc0a07

Mesmo sem precisar, Deus nos dá força para enfrentar batalhas e ainda fazer um bolo delicioso. Aguentamos uma carga horário inteira de trabalho e ainda nos deleitamos ao ler um bom romance. Somos capacitadas por Ele para cuidar de nossos filhos e ainda saber fazer um belo delineado nos olhos. Deus nos inspira com sonhos grandiosos e nos molda para que possamos chegar onde nunca imaginamos e Seu nome ser honrado em nós, tudo isso de batom vermelho e salto alto.

É, somos incríveis. Acho que a gente tem a quem puxar com um Pai tão maravilhoso, mais conhecido como Deus Todo-Poderoso!

 Reveste-se de força e dignidade; sorri diante do futuro.
Fala com sabedoria e ensina com amor.
Cuida dos negócios de sua casa e não dá lugar à preguiça.
Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também a elogia, dizendo:
“Muitas mulheres são exemplares, mas você a todas supera”.
A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada.
Que ela receba a recompensa merecida, e as suas obras sejam elogiadas à porta da cidade.

Provérbios 31. 25-31

Eu simplesmente sei

Você com certeza já vivenciou algo parecido com o que vou descrever: alguém comenta sobre um casal com a pergunta “o que ele(a) viu nela(e)?”. Você pode ser um dos integrantes desta dupla que gera o questionamento, mas também pode ser o questionador. Acho que todos nós já fomos um pouco dos dois né? rsrs #sinceridades

Falei sobre esse tipo de dúvida na última vez que preguei lá na minha igreja e dei o título para a ministração de “motivos pra ficar”. Ficar, permanecer, se estabelecer na presença de Deus. Não vou reproduzir minha pregação aqui, pois o ponto não é exatamente esse. O ponto é: você já se pegou perguntando se Deus realmente vai fazer tudo aquilo que dizem que Ele vai fazer? Se Ele realmente cuida de cada detalhe – mesmo quando tudo está desmoronando? Será que Ele te ama tanto como te contaram? Ou alguém chegou pra você e disse: o que você viu nesse Deus?! 

.

Se você nunca ouviu ou viveu algo do tipo, diria que você já pode ser arrebatado ou vive em um mundo paralelo, hein? Afinal, sentimentos e dúvidas que nos confrontam sempre existirão e Deus é tão incrível que compreende tudo isso (porque Ele nos criou e sabe a capacidade de compreensão e ansiedade que há em nosso coração) e está pronto para nos ajudar a ficar com Ele. Você já deve ter ouvido falar sobre Jó e sua paciência. Jó sofreu muito, meu. Muito mesmo. Ele poderia muito bem ter decidido deixar a Deus e voltar pra sua família, amigos e todo o resto, mas não. Nem um pouquinho. Jó sabia. Jó tinha certeza do que ele tinha visto naquele Deus e Deus tinha certeza da fidelidade e integridade do seu servo. Você entende?

Todos falando para Jó o quanto ele estava louco por ainda servir e ser fiel ao Senhor com tanto sofrimento, mas o que havia em seu coração era inabalável. Era a certeza de um Deus vivo que não desampara nem nas piores lutas – porque elas existem, gente. Jó tinha certeza do seu relacionamento com o Pai e de que não existia algo melhor e mais completo em lugar algum por mais que tentassem lhe dizer o contrário.

Você tem essa certeza? Mesmo se alguém te disser que tem coisa melhor, que apareceu um novo deus, uma fé que pode-tudo-com-todos ou que simplesmente não crer em nada é a melhor saída… você sabe que Deus é Deus como Jó sabia? Você se lembraria da aliança, do relacionamento, do compromisso que você tem com Jesus e diria: eu sei que já encontrei o que precisava, eu tenho motivos de sobra para permanecer… para ficar com Ele. 

Jó ouvia tantas besteiras e sem titubear disse “EU SEI que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra.” (Jó 19.25). Imagino que ele dizia “eu sei!” e lhe diziam “mas como você tem tanta certeza?” e ele dizia “eu simplesmente sei”. Sem duvidar. Sem querer deixar. Ele sabia que queria ficar.

Quando te perguntarem porque Jesus é a melhor parte, seu coração vai te fazer suspirar (como aquele casal apaixonado que foi questionado lá em cima) lembrando de tantos momentos inesquecíveis que a presença de Deus proporcionou e sua boca vai dizer: eu simplesmente sei.

Porque você tem motivos pra ficar. Porque você sabe quem Ele é. E Ele simplesmente sabe quem é você.

“Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram.” (Jó 42.5)