E quando o medo vem?

O medo, ah o medo. Tá aí uma característica comum entre todas as pessoas, né? Alguns o escondem para não “evidenciar” suas fragilidades e outros o escancaram com suas fobias. Eu chamo de característica porque não considero o medo um defeito, mas também não posso chamá-lo de virtude. Eu prefiro encarar o medo como um moderador em circunstâncias difíceis e inéditas. Mas quem nunca o sentiu como um limitador, não é mesmo?

O ser humano naturalmente teme o que não conhece, o inesperado, a falta de controle. Nós naturalmente queremos reger tudo ao nosso redor, afinal, é difícil ser pego de surpresa. Mas… e o que Deus tem a dizer sobre isso?

É normal sermos ansiosos e inseguros (derivações e alertas do próprio medo), mas será que isso tem sido maior que a confiança no Todo Poderoso a quem servimos? Será que de tanto olhar pro natural esquecemos que Ele é Deus para nos livrar e guardar?

Deus deixa claro que temos que aprender muito com Davi. Davi errou muitas vezes, mas nunca duvidou do poder de seu Senhor. Era a Ele a quem Davi temia e confiava, pois já havia vivido muitos livramentos. “…O Senhor que me livrou das garras do leão e das garras do urso me livrará das mãos desse filisteu” (I Samuel 17:37)Mesmo tão jovem e humanamente despreparado encarou um gigante com toda a ousadia do seu ser ao dizer “Você vem contra mim com espada, com lança e com dardo, mas eu vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem você desafiou.” (I Samuel 17:45), pois ele sabia que o General estava indo a frente nesta batalha e não era pra perder porque com Deus NUNCA se perde.

Mas e quando o medo é daquilo que ainda não se sabe? Daquilo que ainda não se vê? “Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês.” (I Pedro 5:7). Isso é difícil, né? Quando se espera por aquela ligação para um novo emprego. Quando se espera por uma reconciliação de um relacionamento que te faz tanta falta. Quando se espera pela provisão. Quando se espera pela cura física ou daquela ferida que teima em não cicatrizar no coração. Basta olhar para a vida de Daniel (entenda mais sobre ele aqui), que mesmo sendo inocente foi jogado à morte na cova dos leões famintos, mas ele continuou firme na fé e esperou. Nosso Pai foi fiel e fez com que este felinos sossegassem e não tirassem nem um fio de cabelo do seu servo até ele ser resgatado.

Nas nossas vidas lidamos com inúmeros gigantes, invejosos que delatam contra nós para nos jogar numa cova que parece o fim. Até mesmo o nosso coração nos engana (Jeremias 17:9) e enfraquece fazendo com que a vontade de retroceder apareça, a vontade de desistir do sonhos e planos de Deus fique latente… Mas Jesus deixou um recado pra você em meio a essa tempestade: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mateus 11:28).

Ele nunca disse que seria fácil (João 16:33), mas Ele prometeu te ajudar em meio as dificuldades, prometeu aliviar teu fardo. “…Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11:29-30).

Nossas limitações são incontáveis, mas a boa notícia é que para Deus nada é impossível (Lucas 1:37)! Ele tem o bálsamo de Gileade para sarar (Oséias 6:1), Ele renova suas forças (Isaías 40:31), Ele é o socorro bem presente na hora da angústia (Salmo 46:1) e torre forte pra te guardar (Provérbios 18:10).

Mesmo que o desespero queira ter voz em sua vida nos momentos difíceis, encha seu coração daquilo que te traz esperança (Lamentações 3:21) e lembre-se da fidelidade e poder do Senhor. Porque as circunstâncias vêm e vão, mas Ele é o mesmo para sempre (Hebreus 13:8)!

 

Camila Amorim