Sobre cumprir o que nos foi designado

A tarefa é simples: que amemos uns aos outros, assim como Cristo nos amou (João 15:12), mas a gente gosta de dar uma complicada nas coisas. Às vezes me espanto com a atitude tão sem amor das pessoas, mas logo depois me lembro que eu também sou assim. Amar vai muito além de simplesmente ter carinho ou gostar, ô se vai. Amar exige mais alguns atributos tão difíceis de praticar quanto, como: respeito, perdão, lembrar e esquecer.

A nossa capacidade em amar é tão pequena quanto o domínio (ou conhecimento, como preferir chamar) que temos sobre este nobre sentimento. Afinal, Deus é amor e para conhecê-Lo precisamos da eternidade. Mas para viver e praticar um mandamento tão básico como este, nosso amado Pai nos capacita a perdoar e enxergar no outro o que há de igual em nós, que podemos chamar de “mesma capacidade de erros e acertos”.

 

mais amor por favor

Você assistiu o último jogo da Copa com a nossa seleção? Considero um bom exemplo da prática – ou ausência da mesma – sobre aqueles atributos que comentei lá em cima. Nos primeiros jogos presenciamos uma nação inflamada, calorosa e peito estufado em favor deste time que nos representou. Mas bastou estes mesmos jogadores estarem mais fracos, sensíveis ou até mesmo errados para vermos, no lugar das palavras de afirmação e motivação, vaias, bandeiras queimadas e xingamentos absurdos. Falo sobre um acontecimento em grande escala, mas isto não lhe é familiar? Aquele melhor amigo que era tudo pra você, mas um dia falhou. Um amor que lhe traiu. Um parente que lhe abandonou. Ou até erros menores, como esquecer a margarina aberta (o que pra muita gente é inadmissível, haha) ou cometer erros ortográficos (é, pra mim é um pecado). Ou SEUS ERROS bem maiores. E nós simplesmente damos as costas ou as costas são dadas a nós.

 

Muita gente falando de amor e pouca gente sabendo amar

 

Nos esquecemos de um passado bom para recriminar alguém com um presente duvidoso. Não abrimos a caixinha do “perdão” porque nem encostamos nas gavetas do “respeito”, “lembranças” ou “esquecimento”. Porque para perdoar você precisa lembrar que também erra. Para perdoar você precisa esquecer as mágoas e dar preferência aos bons momentos (já vividos e que ainda virão). E para amar você precisa respeitar quem recebe seu sentimento para também ser respeitado, é mútuo. Para Deus não existem erros imperdoáveis quando há arrependimento, porém para nós, meros humanos existe uma extensa análise crítica de quadro a quadro e uma avaliação final para liberação ou não de perdão. Ai quanta dificuldade em amar…

Jesus em Seu caminhar descrito na Palavra nos ensina a praticar o amor em atitudes e menos falar, menos julgar… o Mestre nos mostra a importância das ações para com o outro e o olhar para dentro de si mesmo.  Quando nos olhamos pelos olhos de Cristo vemos que não somos essa maravilha toda que pensamos ser – inconscientemente, muitas vezes – comparado aos que estão ao nosso redor.

Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. “Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão. (Mateus 7:1-5 )

Tenho pedido ao Senhor mais capacidade para cumprir o que Ele me designou: amar meu vizinho, meu chefe, meus professores, aquele vendedor mal humorado e o atendente do telemarketing (rsrs). Amados, visto que Deus assim nos amou, nós também devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós. (I João 4:11-12)

Não há nada melhor do que influenciar a vida de alguém (e não importa quem) com pequenas doses de amor, pois até no teu sorriso há sentimento. Quebre as pernas do mau humor, da crítica, da razão (já que ela não serve pra nada mesmo – Isaías 64:6) e do desrespeito mostrando a que veio e cumprindo as ordens do Mestre, porque assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele. (I João 4:16) 

 

O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor. (Romanos 13:10)

O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor. (Romanos 13:10)

Camila Amorim

Anúncios

O valor das Palavras

Parece que quanto mais o tempo passa mais as pessoas parecem despreocupadas com o falar, como se suas opiniões fossem tão valiosas que não pudessem ser guardadas. Precisam falar a qualquer custo; não importa pra quem, como, quando ou onde. Aprendi que “Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo” (Provérbios 25.11). A seu tempo, ou seja, quando solicitada e se necessária.

A Palavra de Deus sempre deixa claro que temos que tomar cuidado com tudo que sai de nossa boca, pois pode ser para o bem, mas também pode contaminar (Mateus 15.11).

632ae538139edd807830177d87450ac9

 

Quantas vezes temos que lidar com “alfinetadas” no trabalho, no círculo de amigos, na família, e a vontade de responder a altura logo vem e muitas vezes agimos pela emoção e acabamos por ferir com a mesma arma com que fomos feridos, só para nos sentirmos superiores. E ao invés de apaziguar criamos contendas e entristecemos ao Pai.

Ele nos pede em todo o tempo para agir com sabedoria e são momentos como estes que praticamos o que temos aprendido. Pensar duas vezes antes de responder qualquer pergunta ou brincadeira inconveniente é essencial para o bom convívio. O silêncio é uma arma poderosa para qualquer pessoa, e muitas vezes a melhor das respostas.

E não deixe sua mente se ocupar de coisas vis, de coisas passageiras. Ocupe-se de projetos, trabalho, do seu ministério, do seu relacionamento com o Senhor e com sua família, “porque, da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo da multidão das palavras.” (Eclesiastes 5.3). Quando estamos cheios do que é bom, perfeito e agradável, não nos preocupamos mais com ataques externos, porque o que está em nós é bem maior (I João 4.4).

Permita que da sua boca saia palavras para vida (Provérbios 18.21), para trazer diferença no ambiente que você frequenta e tocar todos que te cercam. Não haverá quem não possa notar que o que há em você sobressai aos demais, que de você vem amor, perdão e cuidado com o próximo.

“Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se” (Tiago 1.19).

 

Camila Amorim